Área plantada de soja está maior em MT
O plantio da safra 2012/13 de soja, em Mato Grosso, entra na reta final e em alguns municípios do médio norte os trabalhos devem se encerrar ainda nesta semana. Nessas localidades a chuva foi generosa e não foi preciso interromper o vai e vem de plantadeiras à espera das precipitações como ocorreu, por exemplo, no oeste do Estado. Mesmo com atraso no ritmo dos trabalhos de cerca de 5,3 pontos percentuais em relação ao observado em igual período do ano passado, a área coberta atualmente já é superior em cerca de 360 mil hectares. Enquanto nesta safra 6,99 milhões ha estão cobertos, em novembro do ano passado, eram pouco mais de 6,63 milhões, ganho espacial de quase 6%.

Conforme o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), em seu Boletim Semanal da Soja, os quase 7 milhões de hectares plantados equivalem a 88,6% dos 7,89 milhões que deverão ser semeados neste ciclo. No ano passado, com estimativa de cobrir 7,07 milhões ha, o ritmo empregado até o dia 17 de novembro correspondia a 93,9% da área. Na comparação entre os ciclos, o atual deverá encerrar com ganho espacial de 11,6%.

Como destaca o Imea, as regiões mais adiantadas são a médio-norte, a norte e a sudeste, com 99,5%, 99% e 95,6% do plantio concluído, respectivamente.

A região médio norte – que sozinha concentra 40% da produção estadual de soja - tinha 99,5% da área de 3 milhões de ha semeada e com sete dos seus dez mais importantes municípios produtores com o plantio encerrado, como Lucas do Rio Verde, Sorriso, Ipiranga do Norte, Sinop, Santa Rita do Trivelato, Nova Ubiratã e Vera.

Em relação à semeadura da safra passada os mais atrasados são centro-sul e nordeste, com 17,2 p.p. e 16,8 p.p., registrando 77,9% e 54,7%, nesta ordem. Com o firmamento das chuvas nas últimas duas semanas, “contudo, provavelmente em mais duas semanas o plantio no Estado deve ser finalizado, fazendo com que leve 11 semanas para a conclusão, número médio de período de plantio para Mato Grosso”. O atraso no ritmo atual se dá porque na safra passada, além de um início de cultivo precoce, houve clima favorável que permitiu a conclusão dos trabalhos em tempo recorde, apenas dez semanas após o seu início.

SAFRA 13/14 – o sojicultor mato-grossense ainda às voltas com o plantio já faz as contas dos custos de produção da nova safra, a 13/14. Como frisa o Imea, o custo da lavoura nova, comparado com o custo ponderado da safra atual, aumentou 17,5% na transgênica e na convencional, 18,4%, cujos valores atuais respectivos são R$ 2.241,23/ha e R$ 2.260,07/ha. Um dos pontos de maior aumento foi o insumo, que subiu de R$ 968,34/ha para R$ 1.106,19/ha na transgênica e R$ 1.122,40 na convencional, em que o peso principal foi a alta sobre os fertilizantes, em média de 17% para ambos os tipos de soja.




Data: 20/11/2012
Fonte: Diário de Cuiabá
Região Sul
Região Sudeste
Região Centro-Oeste
Região Nordeste
Região Norte
© 2014. Todos os direitos reservados.
Melhor visualizado no Mozilla Firefox ou Google Chrome